LIVRO EM PRÉ-VENDA

Título: Patriarcado e Acumulação em Escala Mundial: mulheres na divisão internacional do trabalho

Autora: Maria Mies

Prefácio: Silvia Federici

Tradução coletiva: Coletivo Sycorax

Apoio: Pró-reitoria de Cultura e Extensão Universitária (PRCEU) da Universidade de São Paulo. Edital ODS/ONU 2020-2021.

Editoras: Ema Livros e Editora Timo

Envio: em até 90 dias.

 

SINOPSE

Há muitas razões pelas quais uma nova edição de Patriarcado e acumulação em escala mundial é muito bem-vinda. Considerado já na década de 1990 como um clássico da literatura feminista e leitura obrigatória para ativistas e estudiosas e estudiosos do crescente movimento antiglobalização, o livro foi e continua sendo extremamente relevante, mas hoje se dirige a um público ainda mais capaz de apreciar seu conteúdo e metodologia. Propondo uma visão da história mundial centrada na “produção da vida” e na luta contra a exploração da vida, este livro fala diretamente sobre a crise que muitas pessoas hoje vivenciam diante do ataque às vidas humanas e da destruição do meio ambiente, principalmente em uma época em que a aparente incapacidade de movimentos populares – ainda que poderosos – de provocar mudanças sociais positivas gera uma busca por novos paradigmas.  Seguindo a trilha de séculos de violência masculina contra as mulheres e cruzando espaço, tempo e fronteiras disciplinares, o livro relaciona sociedades de caçadores/coletores com o desenvolvimento do capitalismo e o colonialismo, demonstra as armadilhas dos movimentos de libertação nacional, expõe a continuidade essencial entre capitalismo e socialismo, ao mesmo tempo que traz à tona os fundamentos materiais das hierarquias que têm caracterizado a divisão sexual do trabalho e destaca os princípios que devem reger uma sociedade não baseada na exploração. Há, portanto, muito conhecimento histórico e político a ser colhido neste livro. Patriarcado e acumulação também nos dá uma importante lição metodológica: trata-se de um excelente exemplo daquilo que requer a construção de uma teoria. E o mais importante, combinando as teorias produzidas pelo movimento Salários para o Trabalho Doméstico, principalmente no que tange à identificação do trabalho doméstico não pago das mulheres como o pilar da acumulação capitalista, com a análise terceiro-mundista das economias camponesas e da colonização, o livro desenvolve um arcabouço teórico que nos permite pensar conjuntamente sobre as diferentes formas de exploração e os movimentos sociais, permite-nos ainda reconhecer o que tanto divide e o que une as mulheres e faz do feminismo uma sonda para apreender as principais tendências da reestruturação da economia mundial. Inevitavelmente, uma obra de tamanha envergadura levantará muitas questões. (Trecho do prefácio por Silvia Federici)

 

 

Patriarcado e Acumulação em Escala Mundial

R$69,00 R$49,00
Patriarcado e Acumulação em Escala Mundial R$49,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

LIVRO EM PRÉ-VENDA

Título: Patriarcado e Acumulação em Escala Mundial: mulheres na divisão internacional do trabalho

Autora: Maria Mies

Prefácio: Silvia Federici

Tradução coletiva: Coletivo Sycorax

Apoio: Pró-reitoria de Cultura e Extensão Universitária (PRCEU) da Universidade de São Paulo. Edital ODS/ONU 2020-2021.

Editoras: Ema Livros e Editora Timo

Envio: em até 90 dias.

 

SINOPSE

Há muitas razões pelas quais uma nova edição de Patriarcado e acumulação em escala mundial é muito bem-vinda. Considerado já na década de 1990 como um clássico da literatura feminista e leitura obrigatória para ativistas e estudiosas e estudiosos do crescente movimento antiglobalização, o livro foi e continua sendo extremamente relevante, mas hoje se dirige a um público ainda mais capaz de apreciar seu conteúdo e metodologia. Propondo uma visão da história mundial centrada na “produção da vida” e na luta contra a exploração da vida, este livro fala diretamente sobre a crise que muitas pessoas hoje vivenciam diante do ataque às vidas humanas e da destruição do meio ambiente, principalmente em uma época em que a aparente incapacidade de movimentos populares – ainda que poderosos – de provocar mudanças sociais positivas gera uma busca por novos paradigmas.  Seguindo a trilha de séculos de violência masculina contra as mulheres e cruzando espaço, tempo e fronteiras disciplinares, o livro relaciona sociedades de caçadores/coletores com o desenvolvimento do capitalismo e o colonialismo, demonstra as armadilhas dos movimentos de libertação nacional, expõe a continuidade essencial entre capitalismo e socialismo, ao mesmo tempo que traz à tona os fundamentos materiais das hierarquias que têm caracterizado a divisão sexual do trabalho e destaca os princípios que devem reger uma sociedade não baseada na exploração. Há, portanto, muito conhecimento histórico e político a ser colhido neste livro. Patriarcado e acumulação também nos dá uma importante lição metodológica: trata-se de um excelente exemplo daquilo que requer a construção de uma teoria. E o mais importante, combinando as teorias produzidas pelo movimento Salários para o Trabalho Doméstico, principalmente no que tange à identificação do trabalho doméstico não pago das mulheres como o pilar da acumulação capitalista, com a análise terceiro-mundista das economias camponesas e da colonização, o livro desenvolve um arcabouço teórico que nos permite pensar conjuntamente sobre as diferentes formas de exploração e os movimentos sociais, permite-nos ainda reconhecer o que tanto divide e o que une as mulheres e faz do feminismo uma sonda para apreender as principais tendências da reestruturação da economia mundial. Inevitavelmente, uma obra de tamanha envergadura levantará muitas questões. (Trecho do prefácio por Silvia Federici)